quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Realce

Prego a independência. Prego a felicidade independente. Acredito que o clímax de uma relação se dá pela independência incentivada, ou seja, se duas pessoas efetivamente querem estar juntas, não tem porque haver controle. O que deve ser alimentado e incentivado internamente é o desejo de valorizar e incentivar o outro. Ressalto que valorizar e incentivar estão muitas vezes associados ao famoso “não”.

O que causa forte atração é a independência misturada com o sentimento expressado. Nesse caso, a outra pessoa, não tem dúvidas do que sentes e, ao mesmo tempo, percebe que és centrado em tua essência e não escravo dos teus sentimentos.

Um comentário:

Kenia Chan disse...

A verdade que devemos guardar é que somos UNICOS, SOZINHOS.
Entender a solidão é a chave.
Não "temos" ninguém. Do verbo Possuir.

O amor é amplo, e o respeito está em valorizar o parceiro, amigo, irmão, seja lá o que for e ajudar não atrapalhando.

Isso é amor.
Possessão é doetio.
Sou unico, você é unico.
Sou minha, você é seu.
Não é justo eu roubar você de você.
Você não pode se permitir ser roubado.
Você já sabe disso.
Amor é liberdade.
E nossa liberdade é o que nos une.